Religião interfere na vida, vida interfere na religião?

Olá pessoas, tudo bem com vocês?
Estou literalmente embasbacado, hoje fui na Fundação Bradesco para me matricular no curso de desenho artístico (vamos ver se meus desenhos melhoram); para preencher o formulário, tinha algumas perguntas muito bobas e comuns, tipo, "é casado ou solteiro?", "tem filhos?", "já trabalhou?"; até ai tudo bem, mas eu estou pensando até agora para que aquela maldita pergunta: Qual a sua religião?
Que tipo de pergunta é essa para um formulário de curso profissionalisante? Juro que não entendi nada. Será que é curiosidade deles? Duvido muito.
Bom, no carro com a minha tia, estava pensando sobre o assunto e me lembrei do Papa Bento XVI dando sua declaração sobre o uso de camisinha; e pensei em uma pergunta: A religião afeta a nossa vida?
É claro que a resposta é sim! Lógico que dependendo da religião seguida, a interferência será diferente. As pessoas muitas vezes são cegadas pela ignorância e deixam de ver o que lhes é atribuído, principalmente no catolicismo (minha opinião pessoal). Até hoje, muitas pessoas deixam de ver o que seria correto pois está com as rédeas da igreja ou então não se abre a novas teorias e opiniões em quesitos de religião pois "a bíblia fala que isso é do demônio". Claro que não se trata apenas do catolicismo; outras religiões impõem seus dogmas sobre os fieis e se dizem superiores a tudo.
Sobre a declaração do Papa, lembro-me de assistir a TV e vê-lo dando um depoimento que o uso de camisinhas era estritamente proibido, pois impedia que uma nova vida fosse gerada. Ok, concordo que o preservativo impede que uma vida seja gerada (graças aos céus), mas não devemos olhar apenas para este lado, devemos analisar a questão de doenças que podem ser transmitidas pelo sexo e até mesmo a gravidez indesejada. A questão é, uma nova vida surgiu! Errado, o fato de uma mulher engravidar não é tão positivo assim (em alguns casos especiais); vejamos, uma jovem de 15 anos, engravida, mas por medo de os pais não aceitarem ou por ser descriminada, se submete ao aborto; além de destruir a vida que está sendo gerada, pode ser um ato suicida.
Isso sim deveria ser analisado, o aborto; assim como todos os casos em que as crianças são jogadas em rios ou latas de lixo porque são indesejadas, não o uso de preservativos.
Claramente isso afetou as vidas das pessoas, especialmente dos que seguem a religião; temos também os pecados, sou especialmente contra a punição da Vaidade, eu particularmente sou muito vaidoso e não vejo problema algum nisso; não posso querer uma aparência mais bela? Alguém vai se incomodar se eu ficar mais bonito? Se ficar, problema deles.
Inveja, creio que até um ponto, a inveja possa ser considerado positiva; com ela temos o desejo de conquistar algo, correr atrás do desejo; mas em exagero, ai sou contra.
Mas, voltando a questão, quando a religião interfere em nossas vidas?
Existem vários casos onde pode haver esta interferência; um deles seria o conflito entre duas ou mais religiões, mesmo que não desejando, é necessário agir de alguma forma, mesmo que para impedir que aconteça as depredações e até mesmo combates físicos. Podemos citar a "Guerra Santa", não vejo porquê isso, aquela terra deixou de ser santa a muito tempo; um local onde serve de palco para mortes, torturas e sabe-se lá mais o que que acontece ali, perde a sua santidade.
A pronúncia de pessoas ligadas a religião pode contribuir para afetar, como no caso acima, o Papa falar dos preservativos, aposto que algum fanático proibiu o filho de usar o preservativo por isso; neste mundo, não duvido de nada.
É claro que há também os dogmas e crenças, muitas vezes, as pessoas deixam de fazer algo pois a religião impõe que certas coisas não devem ser feitas, o famoso "minha religião não permite". Cá entre nós, jamais deixaria de aproveitar minha vida por religião.
Agora vamos ver, a vida interferindo na religião; pessoas se oporem contra pronúncias como a do Papa e iniciam um conflito ideológico para defender que a vida não deve ser submetida a riscos porque a religião impede, o bem estar e saúde vem em primeiro lugar.
Há também casos onde as pessoas deixam sua antiga religião por desconforto ou por não encontrar as respostas que procura; muitas vezes insatisfeitos, deixam de seguir a religião ou até mesmo perdem toda a fé que possuem.
Conheço casos em que pessoas deixaram de acreditar na essência divina pelo rumo que a vida levava, dava tudo errado, não conseguia sair do estado monetário ruim (não por falta de vontade) e até mesmo pelos frequentes problemas de saúde.
A vida e a religião estão indiretamente ligadas, a vida sem a religião é vazia, a religião sem a vida é inexistente. Basta a pessoa identificar a religião que se encaixa e saber selecionar o que seu raciocínio consegue discernir entre o "posso fazer isto, isto não".
Uma pessoa pode mudar toda uma religião com um ato de defesa ideológica. Podemos citar como grandes heróis o rei Henrique VIII e Luthero, em defesa de suas ideologias e visando também uma melhoria de vida, formaram novas instituições religiosas que até hoje são conhecidas e reúnem fieis.
"A vida já é difícil demais, por isso existe a religião; para amaciar as pedras que encontraremos em nossa longa jornada"

Escrito por Felipe M.

2 Response to "Religião interfere na vida, vida interfere na religião?"

  1. Falando Sobre... says:
    22 de novembro de 2010 19:27

    uau felipe! sempre me impressiono com seus texto e com esse ão poderia ser diferente.
    concordo com vc em td, e acrescento:
    a religião hoje em dia serve de muleta pra muita gente q por ter medo da vida se esconde atraz dela.
    ótimo post:D

  2. ROSANE, PANDORA E RAMON says:
    22 de novembro de 2010 19:47

    Sou suspeita para falar sobre o que vc escreve, pois sou sua fã.
    Tem selo e desafio para vc lá no nosso blog. Bjks

Related Posts with Thumbnails