Nova área do Baú e primeira crônica

Olá pessoas! Como estão passando este dia?
Gostaria de dizer que hoje uma nova repartição será aberta no Baú! Para quem gosta de ler nos jornais, mas vive na internet ou gosta, porém, não compra jornal para lê-las; seus problemas acabaram!
Ainda não sabe sobre o que se trata?
Bom, a partir de hoje a área de "Crônicas/Contos" estará disponível e sempre que possível, atualizada! Vamos começar!

Meu pai e minha virgindade
Como posso começar a contar o que aconteceu? É realmente difícil para eu ter de contar o acontecido; depois que meus amigos e parentes souberam, nunca mais me olharam com olhos normais.
Sempre me olham com piedade e com um olhar de "Pobre garota", poxa vida, é constrangedor e embaraçoso; já não bastava ele ter feito aquilo comigo? Muitos dizem que se sentem sem rumo, sozinhos no mundo e vêem as pessoas como seres de outro planeta; devo admitir que a sensação seja terrível nos primeiros dias que se seguem depois do acontecido, mas depois, a vida continua; afinal, a vida deve continuar.
Lembro-me que meu pai estava viajando a negócios e já estava fora por algumas semanas; em casa estávamos apenas eu e minha mãe, tudo muito calmo. Ela estava ligando para todo mundo da família e amigos os convidando para a minha festa de meu aniversário que seria no dia seguinte. Às 21 horas, o telefone tocou e eu atendi; era meu pai dizendo que já estava chegando em casa. Às 22 horas, ele já havia chego; foi muito bom matar as saudades e colocar a conversa em dia.
O cansaço logo me venceu e fui me deitar, subi as escadas e fui ao meu quarto, rapidamente me deitei e tentei dormir. Na cozinha, embaixo do meu quarto, eu escutei minha mãe dizendo ao meu pai que não queria que ele fizesse aquilo e que ele não devia forçar a nada, a única resposta vinda dele foi um alto "hunf" de insatisfação; logo pensei, deve ser um momento entre o casal, melhor não incomodar.
No dia seguinte, o celular despertou e me levantei; aquele dia 22 tinha tudo para ser perfeito! Adoro setembro, o início da primavera, os pássaros cantando, sem aquele frio de lascar!
Tomamos um belo café em família e de tarde fomos a casa dos meus tios, eu havia ganho um farto churrasco de aniversário, família toda reunida; todos dançando e se divertindo, mas meu pai estava lá, sentado, não sorria nem demonstrava nenhuma alegria ou algo do gênero. Perguntei a minha mãe e ela não quis tocar no assunto. No fim do churrasco, ele me chamou de lado e disse que queria me mostrar algo em casa; entramos no carro e fomos embora.
Ele me chamou na garagem e fechou a porta a chaves e disse que fazia aquilo para que se minha mãe ou algum parente chegasse, não o pegasse fazendo aquilo comigo. O meu coração deu uma leve acelerada, por que trancar a porta?
Ele revirou uma antiga caixa e num rápido movimento, me jogou contra a parede, ficou parado em minha frente com as mãos em meu peito e pediu que eu não fizesse nenhum som. A adrenalina tomou conta de mim e o suor escorria pela testa, queria sair dai o mais rápido possível. Ele passou a mão em meus cabelos, beijou minha bochecha e disse que não queria fazer aquilo, pois a mamãe se sentiria traída pela confiança que sempre depositou nele.
Ele colocou o indicador dele em meus lábios, num sinal de silêncio e estendeu a outra mão em minha direção, eu me debatia como louca; foi então que vi a minha certidão de nascimento nas mãos dele e tudo o que ouvi foi:
-Filha, você nasceu no dia 23 de Setembro, não no dia 22. Seu aniversário é amanhã, mas sua mãe nunca deixou que eu contasse isso, pois pensou que seria indiferente; mas só queria que você soubesse!
Foi então que caiu minha ficha e gritei:
-Putz, não sou mais de Virgem, sou de Touro!
Escrito por Felipe M.

1 Response to "Nova área do Baú e primeira crônica"

  1. Wally elsissy says:
    20 de outubro de 2010 00:08

    Caraca! Que susto!! O_o

    Felipe,
    Tenho um recado pra você aqui: http://t.co/M0hkNuU

    abraços

Related Posts with Thumbnails